Fundação Rio das Ostras de Cultura promove Oficina de Iluminação Cênica

Inscrições vão até o dia 15 de março com vagas limitadas

Os interessados em trabalhar com arte terão uma grande oportunidade para aprender um novo ofício. A Fundação Rio das Ostras de Cultura está promovendo a Oficina de Iluminação Cênica, contemplada pelo Edital Cultura Presente nas Redes 2,  que será ministrada por Anderson Ratto, no Centro de Formação Artística de Dança, Música e Teatro, nos dias 23,24, 28, 29 e 30 de março. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 15 de março e devem ser feitas pelo link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSePKK_6FC9mc_DPL73PsiOTsdMkIcxFlhBgHxEmXjoBwQylRw/viewform?usp=sf_link . Os candidatos devem se apressar porque são apenas 20 vagas.

A primeira aula da Oficina acontece na quarta, dia 23, e será realizada no Teatro Popular. Todas as outras serão no Centro de Formação Artística de Música, Dança e Teatro. De acordo com o professor, a função desta oficina é outorgar autonomia para os fazedores de arte (diretores, cenógrafos, atores e outros) para o pensamento de um dos elementos essenciais para o espetáculo, a iluminação. “Com o foco na criação, o objetivo é atender uma demanda existente no Município. Para isso a proposta é qualificar profissionais com conhecimento suficiente para que possam exercer a função de iluminador dentro do seu grupo artístico. Assim podendo atender essa demanda que é de suma importância na realização de um evento”, explicou Ratto.

ANDERSON RATTO – Formado em designer de interiores, começou sua caminhada artística em Maricá, tornando-se iluminador em 2001 e realizando trabalhos em várias áreas. Tento feito trabalhos com Companhias de Teatro e diretores como: Cia Teatro de Nós, Anti-cia, Cia Os tapetes Contadores de História, Cia Farsacena, Cia Sadomusicistas, Anderson Aragón, Adriana Maia, Angel Palomero, André Paes Leme, Diego Molina, Fernando Maatz, Rubens Lima Jr, Isabel Garcia e entre outros.

Também realizou trabalhos nas áreas de shows, dança e exposição como: Maria Rita, Xangai,  Jesuton, BR6, Eletrompete, Anita Malfatti, Le Corbusie, Mariana Manhães, Islã, Tikunta, Âmbar Cia de Dança e entre outros. Com esses trabalhos teve o reconhecimento e recebeu alguns prêmios, sendo o último em 2013, o Zilka Salaberry. Em 2014 foi contemplado com uma bolsa de aperfeiçoamento técnico e artístico, realizada na ESMAE – Escola Superior de Música, Artes e espetáculos do Porto.

Compartilhe essa notícia:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Veja também...