Alunas do Centro de Formação Artística participam de cursos no Festival de Dança de Joinville

Três alunas do 2º ano do Curso Técnico de Dança do Centro de Formação Artística, uma das unidades da Fundação Rio das Ostras de Cultura, participaram de vários cursos durante o Festival de Dança de Joinville para aprimorar conhecimentos e fazer um intercâmbio com dançarinas de outras partes do país.

Acompanhadas pelo diretor de Dança da Onda, Hotton Luz, e pela professora Yasmin Coelho, as alunas Amanda Ezequiel dos Santos, Isabely Niquelania da Silva Marins e Eduarda Vasconcellos da Silva tiveram a oportunidade de fazer os cursos de Dança, Composição e Improvisação, além de conhecer a Escola de Dança Bolshoi e toda a estrutura proporcionada aos alunos.

De acordo com a diretora do Centro de Formação Artística, Fabiana Nagib, essa participação foi importante para o desenvolvimento das alunas. “Participar do Festival de Joinville é sonho de todo bailarino ou bailarina. São poucos os festivais no mundo que têm essa característica de ter tantos gêneros reunidos em um período de tempo. Além disso, esse festival é ponto de encontro, local de troca de metodologias e de informações sobre o ato de dançar. O Festival é ainda mais importante para bailarinos em formação. Esse encontro gera uma ampliação de parâmetros para o desenvolvimento das alunas e dentro de um espaço de desejo. Certamente uma oportunidade única e inesquecível na vida delas”, alertou a diretora.

Para a professora Yasmin Coelho, que aproveitou para participar dos cursos de “Dança Contemporânea Avançado” e “Jazz Dance Avançado”, a participação no Festival foi importante para todos. “Participar do Festival me fez pensar em várias possibilidades referentes aos objetivos da nossa Escola de Dança e o próprio trabalho que estamos desenvolvendo. Além disso, as alunas tiveram a oportunidade de vivenciar a apreciação artística no festival que é muito importante na formação delas”, contou a professora.

Na opinião da aluna Isabelly Niquelania, a participação no Festival foi fundamental para o aprimorar conhecimento. “Primeiramente, gostaria de agradecer a Fundação por ter concedido a oportunidade de estar vivendo esse momento. Foi importante para todas nós estarmos diante de pessoas e lugares que vivem a dança por um todo, com certeza fez muita diferença. Nós precisávamos de visitas como essa para poder conhecer e reconhecer nossas escolhas. Acredito que a viagem abriu nossos olhos para coisas que em nossa Cidade não nos permitia sentir. Cada detalhe foi muito importante, desde a ida, hospedagem, alimentação, tudo bem pensado para suprir as nossas necessidades”, disse Isabelly.

Nas palavras da aluna Amanda Ezequiel, a viagem a Joinville foi incrível, incomparável e mágica. “Que lugar incrível, que experiência mágica e que viagem incomparável. Faltam palavras para descrever o quão bom foi ter ido a este Festival e o tanto que esse lugar me inspirou, me motivou e me mostrou novos caminhos. Não dá para medir o tanto que eu aprendi vendo e escutando e vendo outras pessoas dançarem! Além disso, conheci novas pessoas, histórias, técnicas, dançarinos e professores que me inspiraram, me ensinaram e que deixaram algo muito especial em mim que fizesse ter mais que a certeza do caminho a seguir. Toda essa experiência foi de extrema importância para a minha formação e para mim quanto pessoa, aluna e profissional. Momentos inesquecíveis que ficarão pra sempre em minha memória! Extrema gratidão a todos os envolvidos que fizeram de tudo para que esse sonho se tornasse realidade. Meu coração se enche de felicidade e gratidão por ter tido essa oportunidade e essa realização de um sonho”, declarou Amanda.

O FESTIVAL Preocupação com qualidade, pluralidade e troca de conhecimento, talento e experiência. É com esses objetivos que o Festival de Dança de Joinville se consolidou ao longo de mais de três décadas, tornando-se destino tradicional dos amantes da dança. Participantes de todo o país e até mesmo do exterior viajam à Joinville para concorrer na Mostra Competitiva, se apresentar no Meia Ponta ou nos Palcos Abertos que se espalham pela cidade. Além disso, há um leque de opções para aprimoramento profissional por meio de didáticas inclusivas, com o oferecimento e realização de cursos, oficinas, workshops, palestras, debates e inúmeras ações voltadas aos bailarinos e coreógrafos.

Em cima do palco, bailarinos brilham, seja na Noite de Abertura, que traz montagens completas de balés consagrados, peças de destaque de gêneros diversos de dança ou criações contemporâneas que abrangem o universo da dança e das artes, seja nas Mostras Competitivas e no Estímulo Mostra de Dança. A preocupação de trazer a Joinville o que há de melhor, move a Curadoria Artística e a organização do Festival.

Mantido com o apoio de patrocinadores e promovido pelo Instituto Festival de Dança de Joinville, o evento reúne mais de sete mil participantes diretos e atrai público superior a 230 mil pessoas durante os dias de Festival. Os números expressivos renderam a citação de Maior Festival de Dança do Mundo no Guinness Book, título que é de Joinville desde 2005.

Compartilhe essa notícia:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Veja também...