Solenidade marca a posse dos novos conselheiros municipais de Cultura

O desejo de desenvolver e fomentar ainda mais a Cultura no Município, em todos os segmentos, foi a tônica do discurso de todos os novos conselheiros presentes na solenidade de posse do Conselho Municipal de Cultura para o biênio 2021/2023, realizada nesta terça-feira, dia 26, na Casa de Cultura Bento Costa Jr.

A presidente da Fundação Rio das Ostras de Cultura, Cristiane Régis, abriu a noite dando as boas vindas aos novos conselheiros e falando da importância do Conselho para a Cultura do Município. “A Fundação está de portas abertas para que possamos trabalhar juntos em prol de todos os segmentos artísticos existentes na Cidade. A participação de todos é importante e fundamental para a divulgação e fomento da Cultura como um todo. Parabéns aos novos conselheiros e vamos juntos porque temos muito trabalho pela frente”, declarou.

Ao final da assinatura do termo de posse, foi definida a Mesa Diretora do Conselho, que é formada por Ubiratan Nunes da Silva, presidente; Carlos Alberto “Mistério” da Silva, vice-presidente; Thaís Corrêa e Castro Gonçalves, primeira secretária; e Michelle Teles Devellard, segunda secretária.

A nova Mesa indicou e o Conselho aprovou que o Fórum que vai fazer a análise das metas do Plano Municipal de Cultural e a eleição dos representantes das cadeiras de Teatro/Circo e de Dança será no próximo dia 8 de novembro e a data da primeira reunião ordinária dessa gestão para o dia 10.

Em seu discurso, o presidente Ubiratan Nunes da Silva falou sobre o fato da gestão anterior ter tido o trabalho prejudicado pela pandemia. “Os antigos conselheiros precisaram se dedicar apenas às ações emergenciais que consumiram muito o Conselho e a Fundação de Cultura. Agora temos a oportunidade de colaborar para que as políticas culturais, cada vez mais efetivas, sejam postas em prática. O Conselho amadurece a cada dia e os conselheiros estão muito empolgados para isso. Estou muito feliz por ter sido indicado para presidir essa gestão e tenho certeza que será de muito trabalho”, falou.

Para Carlos Eduardo Lopes Fagundes, este Conselho tem a oportunidade de transformar Rio das Ostras em um dos grandes polos culturais do país. “Temos grandes artistas que moram na Cidade e temos à frente da Fundação de Cultura uma pessoa que realmente se importa e que dá voz e vez à toda classe artística. Com isso, cria-se a catarse perfeita para o sucesso. Eu acredito que podemos fazer a diferença”, opinou

Representado a sociedade civil e titular da cadeira LGBTQIA+ no Conselho, Willysson Barboza Vieira acredita que essa comunidade terá uma participação maior na Cultura da Cidade. “Minha expectativa é a melhor possível. Quero dar voz e vez a nossa comunidade LGBTQIA+ e garantir uma atuação maior em todas as vertentes culturais existentes em Rio das Ostras”, disse

Segundo Thaís Corrêa e Castro Gonçalves, titular da cadeira de Patrimônio Material e Imaterial, o objetivo do novo Conselho deve ser o de dar continuidade aos projetos em andamento. “Além disso, vamos agregar novos projetos sugeridos pela sociedade civil, dentro do possível. Sobretudo, levar a Cultura onde ela precisa chegar, buscando a identidade riostrense, através da sensibilização, para que tenhamos o desenvolvimento sustentável necessário e fundamental  para a condição da vida humana”, esclareceu.

A Mesa Diretora do Conselho é formada por Ubiratan Nunes da Silva, presidente; Carlos Alberto “Mistério” da Silva, vice-presidente; Thaís Corrêa e Castro Gonçalves, primeira secretária; e Michelle Teles Devellard, segunda secretária.

Compartilhe essa notícia:

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Veja também...