Retomada artística e cultural marca trabalho da Fundação de Cultura em 2022

O ano de 2022 está terminando e o saldo para a Cultura de Rio das Ostras foi mais do que positivo. Foram vários projetos, ações e serviços promovidos pela Fundação de Cultura, que valorizaram os artistas da Cidade, dos mais variados segmentos, e permitiram que a população tivesse um maior acesso à Cultura de uma forma geral.

Com uma equipe criativa, resiliente e empenhada, o trabalho desenvolvido pela Fundação de Cultura foi intenso, a começar pelas mais de 100 cartas de anuências distribuídas para produtores de todo o Estado que escolheram Rio das Ostras para apresentar seus espetáculos. Entre as atrações estão a Orquestra de Sopros Banda Sinfônica Nova Aurora, que promoveu um concerto especial dentro do Circuito Sinfônico da Independência (comemorativo ao bicentenário da Independência do Brasil), o show da Banda Via-Jah, na Concha Acústica, e a realização da Semana Caymmi, projeto contemplado pelo edital EXPOMIS – Cultura, Educação e Memória, do Museu da Imagem e do Som (MIS).

Em 2022, a democratização continuou com a realização de 19 chamamentos, entre editais e chamadas públicas, que permitiram a contratação de mais de 160 artistas para realização de centenas oficinas e ações culturais de circo, recreação, contação de histórias, música entre outras, que contaram com a participação de aproximadamente três mil pessoas.

Ao todo foram realizados 28 Cursos Livres das mais variadas artes na Casa de Cultura e no Centro de Formação Artística de Música, Dança e Teatro, como os de Cerâmica, Biscuit, Hip hop, Dança Urbana, Ballet, Samba no Pé, Violão, Bateria, Guitarra, Capoeira e muitos outros.

Por ser referência na área em todo o Estado do Rio, a proximidade com a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado do Rio de Janeiro garantiu ao Município uma parceria que promoveu a revitalização da Praça do Trem, em Rocha Leão. O local recebeu novas cores e mobiliários acessíveis, artísticos e temáticos que remetem ao universo ferroviário, criado pelo multiartista Narcelio Grud, além das intervenções dos artistas locais Rodrigo Pontes e Muiteza. O projeto de urbanismo tático, criado pela Rua Walls, um dos correalizadores do LAB Cidades Criativas junto da produtora Quitanda Soluções Criativas, também conta com uma estação de leitura para estimular a prática no local.

UNIDADES CULTURAIS – A Casa de Cultura Bento Costa Jr sediou este ano oito exposições em suas dependências: “Ponto de Partida _ Fotografia e Cicloturismo, no Mesmo Caminho”, com fotografias de Flávio Ferreira; “O Poder dos Museus”, realizada na Semana de Museus; “Rio das Ostras: capital do Jazz e do Blues”, do fotógrafo Jorge Ronald; “Telas e Cerâmicas”, de Ignacio Zamudio; a “Semana Caymmi”, sob a curadoria de Daniela Name e Leonardo Lichote, a partir do acervo do MIS, que conta com cartas, recortes de jornal, manuscritos e imagens familiares; “Poesi3”, de Gerson Dudus, “Visualizar”, com fotografias dos alunos do professor Alexandre Araújo; e a “Exposição dos Presépios”, com os participantes do IV Concurso de Presépios da Froc, que fica em cartaz até o dia 6 de janeiro.

O Centro de Formação Artística de Música, Dança e Teatro manteve a tradição de formar alunos nas três áreas e apresentou no meio do ano a Feira da Onda e, no final do ano, o Festival da Onda, onde os alunos apresentaram seus talentos para o público de forma gratuita. Foram mais de 20 espetáculos com apresentações no Teatro Municipal Joel Barcellos e na própria sede da Unidade.

PROJETOS – Somente este ano, a fundação lançou projetos que atraíram milhares de pessoas aos eventos distribuídos por vários pontos da Cidade, diversificando os pontos culturais existentes em Rio das Ostras.

O “Tardezinha no Abricó”, um projeto experimental que deu certo, consiste em uma apresentação musical gratuita para a população, garantindo um fim de tarde cultural e abrindo um novo espaço para os artistas.

O “Choro da Maria” é um projeto que acontece mensalmente, sempre no primeiro domingo de cada mês, com o objetivo de valorizar o Chorinho, gênero musical que é genuinamente carioca.

O Projeto Ocupa Concha iniciou com o objetivo de proporcionar aos segmentos que tiveram suas atividades afetadas e comprometidas pela pandemia do Coronavírus, um espaço alternativo para realização de eventos onde podem ser usadas qualquer linguagem artística, como audiovisual; circo; cultura urbana; dança; literatura; música; teatro infantil; e manifestações das culturas populares.

A Fundação ainda levou a contação de histórias para dentro da Biblioteca Municipal Professora Íris Galvão e organizou o primeiro Arraiá Cultural no Centro da Cidade.

TEATRO – O Teatro Popular passou a homenagear um dos grandes atores brasileiros, recebendo o nome de Teatro Municipal Joel Barcellos. A formação de plateia continuou sendo a tônica da unidade. Somente no segundo semestre, foram realizadas cerca de 70 atrações entre espetáculos infantis e adultos, musicais, mostras de dança, palestras e apresentações de escolas, com um público médio de 180 pessoas por atração.

O Soul da Casa, projeto de valorização do artista local, foi outra atração à parte do Teatro. Realizado sempre às quintas-feiras, foram produzidos 40 espetáculos dos mais variados ritmos, com homenagens a artistas consagrados e shows autorais.

COMUNICAÇÃO – A maior conquista da área de Comunicação foi a implantação da rádio Web Froc, criada com o objetivo principal de valorizar e prestigiar os artistas e músicos da região que têm pouco espaço para apresentar seus trabalhos autorais. Além disso, esse novo canal de comunicação serve para ampliar a divulgação das ações promovidas pela própria Fundação e de outras produções artístico-culturais. Também foi criado o “Jornal Cult”, com matérias voltadas para a Cultura da Cidade.

De março, quando foi criada, até a hoje, mais de 230 mil pessoas acessaram a Rádio, que conta com programas produzidos pela própria equipe como o “Som da Cidade”, com músicos da região apresentando suas músicas autorais; o “FrocCast”, o “Toque Musical”, o “Toque Quizz”, o “Top Hits” e o “Froc na Copa”, transmitido durante a Copa do Mundo realizada no Catar.

Nas redes sociais foram realizadas mais de duas mil publicações no Facebook, no Instagram e no Twitter. Já no site foram publicadas aproximadamente 350 matérias.

Para a presidente da Fundação de Cultura, Cristiane Regis, o trabalho de toda equipe da Fundação aumenta a cada ano que passa. “Conseguimos levar a Cultura para muitos pontos da Cidade, valorizamos mais artistas locais e entregamos para a população grandes espetáculos graças à criatividade e ao empenho de todos. A Cultura não para e continua com tudo em Rio das Ostras. Podem se preparar porque em 2023 teremos muito mais”, avisou a presidente.

Compartilhe essa notícia:

Veja também...

Cadastro realizado com sucesso

Cadastro realizado com sucesso